BREVE HISTÓRIA DOS VEÍCULOS ELÉCTRICOS

Os Veículos Eléctricos tem uma história mais longa e interessante do que possa imaginar.

Veja um resumo do seu início, percurso e inovações que caracterizaram este tipo de veículos que utilizam a energia mais limpa, económica e amiga do ambiente do passado, presente e futuro.

Os Veículos eléctricos não são recentes, ao contrário do que se possa pensar. Os primeiros veículos eléctricos foram desenvolvidos na França e Inglaterra nos finais da primeira década do século XIX. Entre 1832 e 1839 (o ano exacto é incerto), um homem de negócios escocês Robert Anderson inventou a primeira carruagem eléctrica.

Robert Anderson construiu uma carruagem eléctrica em 1830 usando pilhas não-recarregáveis, tornando-se mais tarde o Detroit eléctrico recarregável (1907 – 1939) .

Foi principalmente comercializado para as mulheres que não se queriam preocupar com o accionamento do motor com a manivela como era prática na altura.

Um dos primeiros modelos eléctricos – o Phaeton, da Wood, de 1902 – custava 2000 USD, tinha uma autonomia de 29 km e uma velocidade máxima de 22 km/h. Os veículos eléctricos detiveram durante algum tempo os records de velocidade e autonomia nos inícios de 1900. Um dos mais notáveis registos foi a quebra da barreira de velocidade dos 100 km/h, por Camille Jenatzy, no dia 29 de Abril de 1899, no seu veículo em forma de foguete, Jamais Contente, que conseguiu uma velocidade máxima de 105.88 km/h.

O desenvolvimento da indústria automóvel foi enorme, e no início do século XX já existiam veículos eléctricos, a gasolina e a vapor. Os veículos eléctricos eram os mais procurados dada a ausência de cheiros, vibrações, ruído e não necessitavam de mudanças (os veículos a vapor também não tinham mudanças, mas tinham outras desvantagens fáceis de imaginar e das quais destacamos a espera de 45 minutos para pegar o motor numa manhã fria). Por exemplo em 1900 havia um total de 2370 automóveis em Nova Iorque, Chicago e Boston, sendo que 800 desses automóveis eram eléctricos. Apenas 400 desses automóveis eram a gasolina, sendo os restantes 1170 a vapor, uma tecnologia popular na altura. O preço normal dos carros na altura rondava os 1000 USD, mas os veículos eléctricos andavam pelos 3000 USD, em 1910, dado o nível de sofisticação do seu interior. A sua produção teve o seu pico em 1912.

thomas-edison-ao-lado-do-seu-proprio-ve-em-1910

O veículo eléctrico sofreu então a concorrência do motor a combustão desde o início do século XX. Apesar de ter sempre estado, tecnologicamente, bem à frente em termos de eficiência, sofria do problema da autonomia, do tempo de carregamento e do preço das baterias. O declínio do veículo eléctrico deu-se com a melhoria das estradas e acessos que requereriam uma autonomia maior do que a simples e curta deslocação no centro das cidades e com a descoberta de mais fontes de petróleo que reduziu o preço da gasolina. Charles Kettering, em 1912, inventou a ignição eléctrica, eliminando assim a necessidade de “dar à manivela”.

Com o início da produção em massa de veículos de motor de combustão interna e a sua venda a preços entre os 500 e os 1000 USD, enquanto o preço dos veículos eléctricos continuava a aumentar, a utilização de veículos eléctricos reduziu-se a algumas funções de transporte específicas.

O desaparecimento do veículo privado eléctrico ocorreu na década de 1930 e ressurge apenas nas décadas de 1960 e 1970 com a crise do petróleo e consequente necessidade de encontrar alternativas ao uso da gasolina. A evolução até ao presente tem sido em grande parte fomentada pelos tratados, regulamentos e medidas internacionais para a redução das emissões de gases de efeito estufa e mais recentemente com as políticas de desenvolvimento sustentável.

Os veículos híbridos apareceram também como alternativa imediata, já que reduzem o consumo de gasolina e ao mesmo tempo continuam aos “olhos do público” a ser a mesma coisa, sem grandes necessidades de adaptações ou alterações.

Foram vários os acontecimentos marcantes na história mais recente como a criação e colocação à venda de vários modelos cada vez com uma maior autonomia, mostrando que um carro eléctrico pode ser apaixonante e um veículo desejado e uma rede de abastecimento eléctrico a nível nacional que tem impulsionado e consolidado a tendência de crescimento destes veículos.

De realçar igualmente que a travagem regenerativa aplicada nestes inovadores veículos, já é utilizada nos comboios há mais de 40 anos. Agora, com a utilização nos automóveis da tracção eléctrica total ou mista, começamos a ter a noção da energia que se perde ou se ganha num dia, semana ou mês de trânsito citadino. Na maioria dos veículos ao circularem nas cidades que não utilizam a tracção eléctrica, a energia de travagem é totalmente perdida, já que terão de após a travagem, gastar mais energia novamente para pôr o veículo em movimento à velocidade de circulação. Cada vez que se trava numa passadeira para deixar passar um peão, gastam-se milhares de vezes mais energia do que a utilizada pelo peão para parar/arrancar, por segundos, e deixar passar o veículo. Quantas vezes já nos deparámos com esta situação – centenas ou milhares vezes.

primeiro-homem-que-superou-os-100-kmh-realizou-a-facanha-em-acheres-perto-de-paris-em-um-veiculo-eletrico-de-desenho-proprio-nome-do-motorista-era-camille-jenatzy-e-o-carro-era-o-jamais-contente

O primeiro homem que superou os 100 km/h realizou a façanha em Acheres perto de Paris, num um veículo eléctrico de desenho próprio. O nome do motorista era Camille Jenatzy e o carro era o Jamais Contente

VER MAIS

VEÍCULOS ELÉCTRICOS (EV)

Existem imensas vantagens na aquisição e utilização de um veículo eléctrico face aos outros automóveis.

Veja como estas podem ser úteis para si e os modelos que temos para lhe propor.

Os veículos eléctricos estão hoje na linha de frente da batalha do século XXI para decidir como serão movidos os carros do futuro, e têm registado um significativo aumento de vendas sendo que a sua utilização tende a ser cada vez mais massificada, devido principalmente às vantagens face aos motores de combustão, como a evolução da tecnologia das baterias e respectiva autonomia e potencia, custo e eficiência dos quilómetros percorridos, vantagens e incentivos fiscais, total ausência de poluentes e de gases de estufa, condução silenciosa, custos de utilização e de manutenção, aumento da rede nacional de carregadores e um preço cada vez mais competitivo.

Sabia por exemplo que os Veículos Eléctricos não pagam estacionamento em Lisboa à EMEL?

Conheça as vantagens fiscais na aquisição e utilização de veículos eléctricos: APVE

A UNIVEX apresenta-lhe os modelos i-MiEV da Mitsubishi, o Soul EV da Kia e a Fuso eCanter, todos com motorizações 100% eléctricas, e convida-o a conhecer melhor estes veículos inovadores em Lisboa e Cascais.

imiev_ext_front-jpg

Mitsubishi i-MiEV

A gestão de veículos eléctricos tem um nome: Sistema Operativo MiEV

Este sistema realiza tarefas vitais, como monitorizar o estado da bateria, recuperar a energia mediante a função de travagem regenerativa e garantir uma condução suave e com toda a potência necessária, o que melhora a segurança, a comodidade e a eficiência energética.

Imediatamente após o seu lançamento, o Mitsubishi i-MiEV venceu o prémio de «tecnologia mais avançada» do ano, o que se deveu à forma como a Mitsubishi conjugou o sistema de baterias de iões de lítio, num carro citadino, com um motor leve, compacto e eficiente, tendo sido o primeiro veículo totalmente eléctrico produzido em série no mundo.

10659221_843053065724952_860529030417157779_n

Kia Soul EV

O futuro chegou em grande estilo com o novo Kia Soul EV, o primeiro automóvel Kia vendido mundialmente que é, em simultâneo, totalmente eléctrico e com zero emissões. Diversão e eco-friendly finalmente juntos. É o mesmo e vibrante Kia Soul agora também amigo do ambiente. Com a sua favorável autonomia e um estilo arrojado, visível no design e estrutura única, o Kia Soul EV chegou para conquistar os mais audazes.

Fuso eCANTER, Exterieur, mittelblau metallic, Generator: DC 12 V 250 Amp, HV Batterie: 70 kWh, Motorleistung: 185 kW, Leergewicht: 2.860 kg, Nutzlast: bis zu 4.600 kg, 3 Sitzplätze ; Fuso eCANTER, Exterior, mid-blue metallic, generator: DC 12 V 250 Amp, HV battery: 70 kWh, Engine power: 185 kW, curb weight: 2860 kg, payload: up to 4600 kg, seating capacity:3;

Fuso eCanter

Este modelo que ficou conhecido como a Fuso Canter E-Cell, chama-se agora apenas Fuso de mais de 100 quilómetros.

Previstos estão igualmente conjuntos de baterias individuais que podem ir de três a seis conjuntos, cada uma com 14 kWh, permitindo à eCanter uma maior versatilidade, capacidade e adaptabilidade às necessidades dos seus futuros utilizadores. O novo modelo disponibiliza várias opções de carregamento com 80% de capacidade em uma hora com corrente contínua numa estação de recarga rápida ou 100% em sete horas com corrente alternada.

Para breve está prevista a possibilidade de efectuar uma recarga rápida com 170kW, traduzindo-se em 80% da capacidade da bateria em apenas meia hora.

VER MAIS

VEÍCULOS PLUG IN (PHEV)

Os Veículos PHEV combinam a tecnologia eléctrica com o motor de explosão, permitindo-lhe uma maior autonomia e relações de consumo e ecológicas mais vantajosas.

Um automóvel híbrido Plug-In é um automóvel híbrido cuja bateria utilizada para alimentar o motor eléctrico pode ser carregada directamente por meio de uma tomada, tendo um motor eléctrico e um motor a explosão de apoio. No híbrido tradicional, a bateria é carregada unicamente por meio do motor a explosão ou em alguns poucos casos pela energia regenerativa da travagem. No caso dos Plug-In, a possibilidade de alimentação alternativa directamente da rede eléctrica, faz com que o veículo possa operar com uma quantidade significativamente reduzida de combustível fóssil. A maioria dos veículos de tomada são de passageiros, mas existem também versões comerciais, autocarros, motocicletas, scooters, e veículos militares.

O custo para reabastecer a electricidade num Plug-In foi estimado em menos de um quarto do custo da gasolina. Comparado aos veículos convencionais, o Plug-In pode reduzir a poluição do ar, dependência sobre petróleo, e diminuir a emissão de gases poluentes na atmosfera. Os veículos carregados através de tomada circulam parte do trajecto diário (entre 25 e 60 ou 100 km) no modo exclusivo eléctrico (com o motor de combustão interna desligado). Neste modo exclusivo eléctrico, as emissões são nulas. Quando o limite de carga mínimo da bateria é atingido, o motor de combustão é ligado e o veículo passa a funcionar como um híbrido convencional. A travagem regenerativa também utilizada, sendo accionada quando o travão é pressionado para reduzir a velocidade, transformando a energia cinética do veículo em energia eléctrica, que é armazenada na bateria.

A UNIVEX apresenta-lhe o Mitsubishi Outlander PHEV e o Kia Optima PHEV, e convida-o a conhecer melhor estes inovadores veículos em Lisboa e Cascais.

Mitsubishi Outlander PHEV

univex_optima_phev

Kia Optima PHEV

VER MAIS

VEÍCULOS HÍBRIDOS

O Veículo Híbrido possui um motor a gasolina e um motor eléctrico que que permite reduzir o esforço do motor de combustão e assim reduzir os consumos e emissões.

Um veículo híbrido eléctrico possui um motor de combustão interna, normalmente a gasolina, e um motor eléctrico que permite reduzir o esforço do motor de combustão e assim reduzir os consumos e emissões.

Trata-se de um automóvel que combina um motor a combustão e um motor eléctrico, sendo que na realidade, é um veículo eléctrico alimentado pela energia cinética proveniente da combustão de combustível.

Um automóvel híbrido eléctrico é um automóvel que possui um motor de combustão interna, normalmente a gasolina, e um motor eléctrico que permite reduzir o esforço do motor de combustão e assim reduzir os consumos e emissões.

A economia de combustível dos veículos híbridos dá-se pela redução do tamanho dos motores a combustão, pois na ausência de um motor eléctrico, a potência máxima disponível depende de motores maiores, que dissipam mais potência e consomem mais combustível. Por outro lado, quando se pode contar com o auxílio de um motor eléctrico, é possível utilizar um motor a combustão dimensionado para a potência média, e, portanto, menor.

Também a utilização do Ciclo de Atkinson propícia maior eficiência energética do que o Ciclo de Otto.

A travagem regenerativa parte da potência de travagem que é electromagnética, e transforma energia cinética em energia eléctrica que pode ser armazenada.

A ausência da necessidade de utilização do motor a combustão em situações nas quais a potência do motor eléctrico é suficiente, por exemplo em congestionamentos de tráfego, evita que o motor a combustão fique trabalhando , sendo todos estes factores que permitem uma economia efectiva com a utilização de motores híbridos.

A Univex apresenta-lhe o Kia Niro.

niro-8912l

Kia Niro

VER MAIS

PROTOCOLOS UNIVEX

A Univex e as marcas que representa celebraram protocolos com entidades que lhe proporcionam vantagens na aquisição de um veículo eléctrico.

Saiba mais acerca deste tema.

A KIA representada pela UNIVEX, celebrou um protocolo com a UVE (Associação dos Utilizadores de Veículos Eléctricos) segundo o qual é possível atribuir a todos os associados da UVE, condições especiais de aquisição para o KIA Soul EV.

Os associados UVE terão direito a um desconto de 10% sobre o preço base + opcionais.

Para a obtenção destas condições de aquisição, cada associado da UVE deve apresentar o seu cartão de associado com o seu nome e dentro da validade. Este cartão é renovado anualmente com a sua data de validade gravada.

Cada KIA Soul EV adquirido ao abrigo deste protocolo tem de ser facturado e registado em nome do Cliente associado da UVE.

O KIA Soul EV é comercializado apenas nas Concessões especialistas autorizadas como a UNIVEX.

VER MAIS

218 394 600

TEST DRIVE

MARCAR REVISÃO

REDES SOCIAIS

scroll up